10 atitudes para acelerar o ritmo de inovação nas empresas

Sabia que, hoje em dia, apostar na inovação é medida essencial para qualquer ramo do mercado? Então guarde: independentemente da sua área de atuação, investir em inovação mantém o negócio competitivo, fazendo com que realmente se destaque da concorrência. Não parece ser o cenário ideal? Mas como exatamente colocar a teoria em prática? Que atitudes podem acelerar o ritmo da inovação nas empresas? Pois confira agora mesmo nossas sugestões:

A importância da inovação nas empresas

É simplesmente impossível negar o papel da inovação nas empresas atualmente. Por isso é que investir em pesquisa e desenvolvimento de novos serviços e produtos se tornou imprescindível para que qualquer negócio se mantenha competitivo no mercado. Afinal, assim fica mais fácil encontrar soluções inovadoras para as demandas dos consumidores, o que resulta em um enorme potencial de crescimento futuro.

Para você ter uma ideia, de acordo com um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), existe uma relação direta entre investimentos no combo pesquisa e desenvolvimento com o crescimento de empresas de tecnologia no país, apontando para a existência de uma grande concentração de organizações que apostam em inovação tecnológica por aqui. E essa concentração representa, na verdade, uma oportunidade de crescimento para os setores que pretendem se destacar no mercado.

As direções do movimento

Primeiramente, é preciso levar em consideração que os processos de inovação não ocorrem somente do alto da hierarquia do negócio para o chão da fábrica, de cima para baixo (movimento conhecido como top-down). Na prática, esse processo também deve acontecer no sentido contrário, de baixo para cima (ou bottom-up). Isso significa que tanto os setores de alta capacitação profissional quanto as áreas mais técnicas da mesma empresa podem contribuir para o processo inventivo. Por essas e outras é que se faz necessária a adoção de uma política efetiva de integração de diversos setores. Tudo em prol da inovação!

O olhar atento nos concorrentes

Deixar de acompanhar os desenvolvimentos tecnológicos da concorrência é um erro que pode acabar saindo bem caro. Portanto, seja por meio de patentes, design industrial ou segredo de indústria, sua empresa deve estar atenta às novidades apresentadas ao mercado, já que também são indicadores de tendências de consumo. Essa percepção pode direcionar o negócio rumo a novos investimentos, fazendo com que repense estratégias e aposte em setores antes negligenciados.

A proximidade com o público

Além de acompanhar as novidades apresentadas pelos concorrentes, também é importante verificar o que dizem os consumidores. Muitas vezes, afinal, são exatamente eles os melhores medidores no que se refere à necessidade de inovação, à qualidade dos produtos e serviços oferecidos, bem como a novas demandas do mercado. Para alcançá-los, procure manter na empresa canais livres de comunicação, seja por meio do SAC ou outras alternativas de atendimento. Demandas recebidas, trate de encaminhá-las aos setores responsáveis pela inovação e observe a revolução que uma medida tão simples pode causar aos resultados do negócio.

A abertura de espaço para a inovação

Mas atenção: já vale adiantar que esse espaço não precisa ser necessariamente físico, ok? Por mais que empresas como Google e Apple façam questão de construir ambientes para que seus funcionários coloquem em prática projetos alternativos e invenções, também é possível gerar essa abertura em reuniões de trabalho e até na agenda dos funcionários. Que tal estabelecer o dia da inovação semanal, por exemplo? O segredo está em institucionalizar processos inventivos no âmbito da empresa.

As merecidas recompensas

Além de criar espaço para a inovação, é preciso recompensar aqueles colaboradores que apresentam resultados diferenciados em seu dia a dia. As criações podem até ser simples, como a sugestão de mudança em uma rotina organizacional para agilizar processos na empresa, por exemplo. O importante é que até mesmo essas atitudes sejam devidamente reconhecidas. Para isso, pode-se investir em sistemas de bônus, promoções, programas de avaliação de desempenho no formato de acúmulo de pontos e diversas outras possibilidades de benefícios corporativos.

A percepção do erro como parte do processo

Para empreender, também é preciso entender o erro como resultado possível dos processos inventivos. Até porque inovar não deixa de ser um investimento de risco. Assim, pode tanto gerar prejuízos como bons resultados. De fato, nem sempre as iniciativas de inovação serão bem-sucedidas. Por isso, os erros ou fracassos devem ser incorporados ao processo, sem maiores consequências ou repreensões. Caso contrário, haverá frustração de expectativas e falta de incentivo à criação.

A identificação prévia

Desde o processo de prospecção de novos funcionários, já é importante que a empresa procure perfis profissionais mais propícios à inovação. Pode-se, por exemplo, focar na identificação de características geralmente relacionadas à atividade criativa, como a proatividade, a iniciativa e a capacidade de raciocínio fora do padrão. Ao priorizar desde cedo esses aspectos, ainda no processo de contratação de profissionais para a empresa, será mais seguro esperar mais inovação no futuro. Só um detalhe: após a contratação, não se esqueça de investir na gestão desses talentos!

A multidisciplinaridade como chave

Poucas equipes efetivamente colocam em prática esse conceito, mas é incrível o que a multidisciplinaridade pode fazer pela inovação de qualquer empresa. Trabalhar com times integrados por pessoas de diferentes formações acadêmicas, interesses e perspectivas profissionais pode gerar ambientes infinitamente mais criativos. Isso se dá porque a atuação desses profissionais será complementar, fortalecendo a inovação por meio dos acréscimos vindos dessas diferentes áreas de conhecimento.

No caso da invenção de uma nova embalagem de um produto alimentício, por exemplo, é imprescindível contar com opiniões tanto de designers de produtos quanto de engenheiros de alimentos e químicos. Todos esses profissionais poderão analisar sob diferentes pontos de vista características relativas à funcionalidade da embalagem, às necessidades de conservação dos produtos e a diversos outros aspectos igualmente importantes.

A agilidade interna

A inovação deve ser um processo rápido e dinâmico na empresa. Por isso, se o desenvolvimento de um produto, processo ou serviço está demorando mais que o esperado, talvez seja a hora de rever as estratégias e investir em novas iniciativas. Caso contrário, sua empresa perderá no quesito agilidade em relação aos saltos tecnológicos, podendo ficar para trás na corrida por uma fatia do mercado.

Pronto para implementar essas atitudes no dia a dia e facilitar a promoção da inovação na sua empresa? E aproveite para conferir nosso post sobre como recrutar novos talentos e criar uma equipe extraordinária!

 

Um comentário

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

topo