A arte de ser um gestor de talentos para motivar sua equipe

Sua equipe cumpre suas ordens pela força da autoridade ou pela influência “encantatória” que sua liderança tem em transformar a missão da empresa uma ideologia coletiva? Nunca pensou nisso? Pois este é um bom momento de refletir, pois tenha certeza de que os resultados alcançados nesses estilos de direção são bastante distintos. Hoje você irá descobrir se você exerce, de fato, uma liderança motivadora e, em caso negativo, como aprender a guiar seus colaboradores pelo caminho do crescimento, potencializando suas capacidades em seu nível máximo!

“O melhor líder não é necessariamente aquele que faz as melhores coisas. Ele é aquele que faz com que pessoas realizem as melhores coisas” 

A frase é de Ronald Reagan, ex-presidente norte-americano e resume bem a função desse ícone imprescindível de todas as organizações. Especialmente no ambiente de negócios atual, marcado pela existência de um consumidor cada vez mais exigente, pela extrema competitividade entre as organizações, pelas tecnologias que se sucedem todos os dias (padronizando produtos e confundindo clientes) e pelo árduo desafio das organizações em se diferenciarem em seu segmento, liderar uma equipe se transformou em uma tarefa da mais alta complexidade, envolvendo comunicação, controle, criatividade, velocidade na tomada de decisões, visão de futuro, solução de conflitos e, é claro, motivação.

Para entender o novo papel do líder como executivo de alta performance, é preciso compreender, antes de tudo, que uma empresa não é um universo hermeticamente isolado das transformações sociais externas. Assim, se o perfil de consumidor mudou por força da chamada “Era da Mobilidade” – se tornando multifacetado, mutável, menos apegado a marcas, mais consciente de suas opções e totalmente integrado às mídias sociais -, o perfil da equipe que está dentro de sua empresa também acompanhou essas transformações. E é preciso que o líder aprenda a lidar com esse novo modelo de colaborador, advindo das gerações Y (nascidos nos anos 80) e, mais recentemente, da chamada geração Z (nascidos em meados de 90).

A incompatibilidade entre a velha liderança autocrática e o universo dinâmico das organizações

Por mais que haja um anacronismo com o mundo moderno, existem até hoje, em algumas empresas, comandantes que exercem sua direção “a mãos de ferro”, com supervisão rígida do trabalho, centralização extrema, negação à liberdade, motivação baseada em punições e pouco espaço à participação (como na antiga Teoria X de direção).

Entretanto, a complexidade do universo corporativo atual e as exigências do consumidor por respostas rápidas, soluções imediatas, excelência e inovação constantes, geraram a necessidade de enxergar a liderança como um processo de “start emocional”, em que o gestor, tal qual um maestro, apenas coordena as ações para que sua equipe materialize todo o seu potencial em seu nível máximo.

O líder motivacional é um verdadeiro agente de transformação na empresa, que inspira seus seguidores a transcenderem seus próprios interesses em busca do alcance da missão da organização (a liderança motivacional é também, por que não dizer, uma “liderança transformacional”). Este executivo também vai muito além das metas, trazendo inovação à empresa, comprometendo-se com resultados, focado na construção de relação com clientes; ele fala a língua do acionista, tem psicologia para estimular a força interna de seus colaboradores; é, enfim, líder de si mesmo. E essas características agregam valor inestimável à empresa.

Benefícios da liderança motivadora

  • Eleva significativamente a produtividade do time;
  • Traduz a missão da empresa em um alvo tangível;
  • Eleva o entusiasmo coletivo;
  • Conduz sua equipe em favor da melhora do clima organizacional;
  • Ajuda a desenvolver habilidades;
  • Possui sensibilidade às necessidades dos liderados;
  • Cria vínculos inspiradores;
  • Fomenta a formação de novas lideranças e de ideias inovadoras;

Citando a pesquisadora Sylvia Constant Vergara, “dificilmente, missão, visão e objetivos seriam alcançados sem que houvesse liderança motivadora, uma vez que as empresas, como qualquer coletividade, são movidas por movimentos contrários de cooperação e de conflito; logo, é preciso magnificar a cooperação e direcionar os conflitos para seus aspectos contributivos de mudança e de criatividade. Este é o papel da liderança. É um papel integrador, muito necessário numa época até de organizações virtuais. Ele possibilita que pessoas se mantenham unidas, mesmo sem estarem fisicamente próximas.”

Convença para comandar

Eis algumas dicas essenciais para que você seja um verdadeiro líder motivador em sua organização:

  1. Na década de 90, as teorias sobre liderança situacional dominaram as empresas e as universidades. Esse modelo se focava nos liderados, já que o estilo de comando a ser exercido dependeria da maturidade dos funcionários. O que ficou dessa teoria para o líder motivador moderno do século XXI é que o bom maestro sabe analisar o comportamento de cada um de seus liderados. Valoriza e dá espaço para cada competência ou personalidade, no momento certo, fazendo com que os diversos caracteres formem um todo coeso na empresa.
  2. Transmita a imagem da empresa como uma construção coletiva: isso significa dar espaço para a voz da sua equipe, ouvir mais e incentivar o diálogo. Essa abertura estimulará o surgimento de novas ideias e a apresentação de novas perspectivas para lidar com os problemas diários da organização.
  3. Não enxergue sua equipe como mão de obra, mas como Capital Intelectual. A abordagem aqui é a daGestão de Talentos, em que os colaboradores são vistos como o ativo mais valioso da organização.
  4. Jamais desobedeça à regra de ouro do líder de excelência: elogie em público, critique em reservado.
  5. Descentralize, delegue; dê espaço para que sua equipe também seja um “microgestor”. Isso contribui para a elevação de sua autoestima profissional.
  6. Promova reuniões motivadoras, recompensas personalizadas por metas audaciosas alcançadas (metodologia OKR), em linha com o que você sabe das expectativas e anseios de cada colaborador.
  7. O líder é o reflexo da situação da empresa: seja ponderado, sereno e controlado, isso traz segurança à equipe e os deixa à vontade para exercerem suas atribuições sem que o medo excessivo do erro prejudique seu desempenho.
  8. Defenda os interesses de seus liderados diante de outras autoridades dentro da empresa: isso transmite uma imagem de um gestor confiável, nobre e digno de admiração. De forma inconsciente, ajuda na “conquista” do respeito da equipe. Lembre-se que um dos papeis do gestor é promover a integração entre as diversas variáveis organizacionais e as variáveis humanas.
  9. Seja claro nas instruções, mas paciente caso seja necessário reinstruir seu time.
  10. Preocupe-se especialmente em conquistar as lideranças informais dentro da organização.
  11. Equipes de alta performance são formadas por líderes de alta performance: não abra mão deprogramas de coaching para executivos ou de treinamento motivacional.

Corroborando teorias clássicas de motivação (como a dos Dois Fatores, de Herzberg, lembra dela?), embora a motivação seja uma fagulha interna, existem fatores motivacionais, ligados à autoestima do indivíduo, capazes de acender essa chama da vontade e da disposição interna. A liderança motivacional é capaz de disseminar esse fogo, de forma diferente em cada profissional. Tomando emprestado o ensinamento de Sam Walton, fundador do Walmart, “líderes incríveis saem da sua rotina para melhorar a autoestima de sua equipe. Se as pessoas acreditam nelas, é incrível o que elas podem conquistar.”  

E você, se considera dotado de liderança motivadora? Conte-nos abaixo por que, mas não sem antes compartilhar nosso conteúdo nas redes sociais, ok? Sucesso e até breve!

Um comentário

  • As frases, geralmente algum título, publicados com a cor cinza, não estão aparecendo bem, aparecem muuuuito fraquinhas, já modifiquei minhas configurações no Windows, mesmo assim, continuam cinzas e muito fracas.
    Há alguma possibilidade de vocês mudarem, por favor?
    Gosto de seus artigos, mas está difícil a leitura.

    Desculpem o incômodo. 🙁

    PS. Até o “DEIXE UMA RESPOSTA”, Seu endereço de e-mail…”, e quando vou para o campo Nome, o próprio comentário fica cinzinha, e muito fraquinho.

    Ou será que preciso fazer alguma configuração na minha máquina? Se for, vocês podem me dizer qual é, por favor?

    Obrigado, e me desculpem novamente.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

topo