Conheça 8 tipos de liderança e as vantagens de cada uma delas

Abraham Lincoln dizia que a maior habilidade de um líder é desenvolver habilidades extraordinárias em pessoas comuns. Já Harry Truman afirmava que a liderança consiste em não somente conseguir que as pessoas façam o que não querem como fazer com que passem a gostar de fazê-lo. Seja pelas palavras de um ou de outro ex-presidente norte-americano, o que precisa ficar gravado na memória é que liderança é a maneira por meio da qual alguns indivíduos conseguem exercer o comando sobre outros, arregimentando seguidores e influenciando posições, comportamentos, iniciativas e atitudes. Mas sabia que tão diferentes quanto os líderes são os próprios tipos de liderança exercidos? Então conheça agora mesmo as características de 8 desses tipos!

Liderança autoritária

O líder autoritário é aquele que tem como foco de ação a execução das tarefas e o cumprimento de regras pouquíssimo flexíveis. Sendo assim, esse estilo de liderança é costumeiramente exercido com a autoridade tomando decisões baseadas exclusivamente em suas próprias opiniões, não levando em conta as impressões dos demais envolvidos. O líder com perfil autoritário ainda não aceita ser contrariado, o que faz com que muitos o respeitem antes por medo do que por respeito. Tal conduta pode facilmente levar ao surgimento de conflitos dentro das equipes, bem como à desmotivação dos liderados. Por ser insensível e dominador, o líder autoritário dificilmente dá chances para que os demais integrantes do time ascendam em suas carreiras.

Entretanto, tal estilo de liderança pode até vir a ser útil, sobretudo em momentos de crise extrema, quando atitudes firmes, diretas e rápidas precisam ser tomadas. Por concentrar boa parte das decisões, esse líder tende a simplificar os processos em curso, tornando-os imediatamente mais produtivos.

Liderança democrática

O oposto do líder autoritário é aquele que exerce a chamada liderança democrática. Nesse estilo de condução dos subordinados, é essencial contar com o envolvimento de todos nos processos de tomadas de decisão. Nesse cenário, participação e consulta são palavras de ordem. Entretanto, vale ressaltar que a palavra final segue sendo do líder, que, após ouvir e ponderar sobre todos os pontos de vista pertinentes, bate o martelo.

Quando aplicada ao dia a dia das organizações, esse tipo de liderança costuma criar um engajamento natural dos colaboradores, que se sentem envolvidos no processo e geram, assim, a motivação necessária para o bom andamento do negócio. Ao estimular a participação de seus subordinados, o líder democrático acaba por estimular também seu desenvolvimento profissional, orientando carreiras e deixando um legado positivo ao abrirem espaço para o surgimento de novos perfis de liderança na equipe. E esse ciclo de positividade é extremamente útil para o futuro da organização.

Liderança carismática

Esse é o tipo de liderança que se apoia no carisma do comandante, costumando gerar um grande senso de fidelidade por parte dos liderados, que se sentem motivados e inspirados pela figura do líder. Mesmo que não tenha os melhores requisitos técnicos, ao possuir tamanha ascendência pessoal sobre os colaboradores, o líder carismático acaba por exercer uma poderosa influência sobre eles, angariando maior dedicação e obtendo, assim, melhores resultados. É o tipo de liderança comum em governos de cunho populista, em que a figura do líder tem um peso maior que todo o resto.

Liderança motivadora

O líder motivador é aquele que atinge os resultados que almeja atuando sobre o emocional de seus liderados. Ao motivar as pessoas, acaba extraindo delas um potencial muitas vezes ignorado ou sequer conhecido. O líder motivador geralmente exerce papel importante em momentos de crise, sobretudo quando a organização precisa de maior coesão, pois é capaz de unir pessoas, propósitos e objetivos apenas com suas palavras e seu exemplo. Ao contagiar os demais com sua confiança e seu otimismo, acaba estimulando todo o grupo a seguir da melhor maneira com os processos em curso e, assim, alcançar os resultados planejados. Um bom exemplo desse tipo de liderança se vê nos treinadores esportivos.

Liderança liberal

Quando falamos em liderança democrática, explicamos se tratar daquela modalidade em que o líder dá ouvidos a todos, mas segue sendo o responsável pela tomada de decisões. Já na liderança liberal, a participação dos liderados atinge outro nível. Nesse caso, eles são estimulados a todo momento a colaborar diretamente com o desenvolvimento da empresa, sentido-se à vontade para criar, desenvolver e interferir nos processos em curso. Nesse tipo de liderança não cabe ao líder determinar maneiras de execução de tarefas, tampouco a fiscalização do andamento das mesmas.

Esse estilo costuma funcionar bem em equipes experientes e entrosadas, porque aí a figura do líder como condutor já não se faz tão necessária e a confiança entre os envolvidos é elevada. A única possível desvantagem é que tamanha liberdade pode resultar na perda de autoridade desse intitulado líder, que passa a ser encarado como desnecessário pelo restante do grupo.

Liderança paternalista

Essa liderança aposta no estabelecimento de uma linha tênue entre as relações interpessoais e profissionais. Apesar de criar vínculos fortes entre líder e liderado, tal postura pode ser perigosa, uma vez que lida com o envolvimento pessoal entre profissionais. Na prática, um líder que trata seus liderados como filhos pode ter dificuldades em exercer sua autoridade, assim como um liderado nesse sistema pode não se sentir confortável para questionar alguma decisão tomada, por mais que lhe pareça equivocada. Atenção: confundir relações interpessoais e profissionais pode ser o último passo para o desequilíbrio de uma equipe e, talvez, até de toda uma organização.

Liderança servidora

A liderança servidora se tornou célebre após a publicação da obra O Monge e o Executivo, na qual o autor toma como exemplo de maior líder que a humanidade já viu a figura de Jesus Cristo, explicando como liderar significa servir a seus liderados. Em suma, esse tipo de liderança é baseado no argumento de que a função de um líder é proporcionar a seus colaboradores todos os elementos necessários para que desempenhem seu trabalho da melhor maneira possível. Tal modalidade acaba por criar ambientes de trabalhos motivadores e confortáveis, deixando claro que ali os liderados importam tanto quanto os processos que realizam.

Liderança técnica

Nesse cenário, o líder é respeitado por ser aquele que detém o maior conhecimento e extrema capacidade técnica sobre determinado assunto. Assim, é em sua atestada competência que se baseia a confiança dos demais. Por saber como fazer, suas decisões são respeitadas e seguidas conforme indicado, dando segurança aos liderados, que, em caso de dificuldades, sabem que podem dispor do conhecimento do líder para auxiliá-los. O líder serve como modelo de sucesso a ser seguido, demonstrando por sua própria trajetória que dedicação e empenho resultam em ascendência na carreira.

Entretanto, é importante que esse líder entenda o papel que exerce e a admiração que pode despertar sem deixar que isso o transforme em uma persona acima de qualquer contestação, cujas determinações devam ser cumpridas sem questionamento. Afinal de contas, esse tipo de desvio de postura pode transformá-lo em um líder autoritário.

Os 8 tipos de liderança apresentados aqui são comumente vistos no dia a dia das mais variadas organizações, já que cada estilo de líder se ajusta a um tipo de negócio específico ou a um momento pelo qual a empresa esteja passando. Assim, mesmo os tipos considerados menos benéficos podem oferecer bons resultados!

E você, relaciona-se com algum líder com um dos perfis apresentados no post de hoje? Reconheceu a si mesmo como um dos líderes de nossa categorização? Comente e compartilhe conosco suas opiniões!

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

topo